Verbos defetivos, unipessoais, impessoais

Recorda que um verbo defetivo é um verbo que não se flexiona (que não se diz ou escreve) em todas as pessoas, de todos os tempos e modos. Basta um caso para que seja defetivo. Por exemplo, se um verbo não se flexiona na primeira pessoa do singular do presente do indicativo, embora se flexione em todas as outras possibilidades, é um verbo defetivo. Muitas vezes isto sucede porque não faz sentido, outras vezes porque não dá jeito dizer.

Há dois casos especiais: verbos defetivos unipessoais, que só se flexionam na terceira pessoa do singular e do plural, e no infinitivo. Normalmente significam vozes dos animais (miar, por exemplo). É claro que em fábulas, por exemplo, tem sentido utilizar estes verbos.

Por outro lado, há os verbos defetivos impessoais, que só se flexionam no infinitivo e na terceira pessoa do singular. E que não têm sujeito. Muitas vezes são verbos que significam fenómenos meteorológicos; também pode ser o verbo haver quando tem o sentido de existir.

Nestes exercícios, deves dizer se o verbo em evidência se pode classificar como defetivo, defectivo impessoal ou defectivo unipessoal.

Instruções

Instruções simplificadas: Escolhe a opção correta > clica em “Continuar” (10 x) > Clica em “Verificar resultados” > Clica em “Rever todas as respostas”.

No dia seguinte, o joelho doía um pouco.
O rapazinho coloria o desenho do cavalo.
- Ainda não sei - retorquiu a Madalena.
Não havia muitos livros naquela estante.
Todos os anos as magnólias floriam, e o jardim ficava encantador.
Ao amanhecer o Galo cacarejou com muita força.
Quando amanheceu, o comboio passava por uma paisagem fantástica.
Ele fazia aquilo por gosto.
A tia dela vendia fruta no mercado.
Quando saíram de casa, trovejava, mas não tiveram medo.
Verificar os resultados
Rever todas as respostas
error: Não.